Nosso ensino

Fé e conhecimento para formar cidadãos do futuro. A luz da sabedoria ilumina as nossas salas!

A cada amanhecer, o Colégio Erasto Gaertner renova os valores transmitidos há 84 anos pelos seus fundadores menonitas. A tradição nos dá solidez para assimilar o novo de maneira mais consciente, oferecendo um ensino moderno e com base nos ideais cristãos.

Ensinar é apenas uma parte do processo educativo. A nossa missão - muito mais ampla - soma a fé e o conhecimento para formar cidadãos integrais, críticos, sensíveis, capazes de mudar a realidade e construir uma sociedade mais justa, honesta e fraterna.  ​

"Queremos que Deus seja louvado e reconhecido através do Colégio Erasto Gaertner, pois somos bem mais que uma instituição de ensino."

- Hartmut August - Diretor do Colégio Erasto Gaertner

Nossa História MENONITA

A pequena escola fundada em 1936 se transformou muito ao longo de oito décadas. Os 18 alunos, imigrantes do Krauel, se multiplicaram e hoje são mais de mil estudantes acolhidos em uma estrutura de 22.000 m² no bairro Boqueirão, em Curitiba.

Se o crescimento nos fez mudar, algumas coisas permaneceram intactas, entre elas, os pilares do nosso ensino: professor, aluno, fé e conhecimento.

A Fundação Educacional Menonita é a mantenedora do Colégio Erasto Gaertner. Em todo o país são mais de dez mil menonitas que cultivam o trabalho, a religião e a educação como forma de progresso.

Conheça mais sobre a história MENONITA.

1 - REFORMA PROTESTANTE
Os menonitas fazem parte de um movimento que surgiu no contexto da Reforma Protestante, no Século XVI. Neste período havia uma série de problemas na cristandade europeia, o que estimulou a busca pela restauração da igreja, de acordo com os princípios bíblicos.
Um dos líderes deste movimento foi Martinho Lutero, que iniciou a Reforma Protestante na cidade de Wittenberg, na Alemanha, em 1517. A reforma se espalhou pelo resto da Europa, dando início às igrejas conhecidas como Protestantes.
Arthur KampfArte de Martinho Lutero após fixar as 95 teses na porta da igreja do castelo de Wittenberg.

2 - REFORMA RADICAL
No contexto da Reforma Protestante, em Zurique - Suíça, o sacerdote Ulrich Zwínglio inicia também um movimento reformista. Pregando a Bíblia, ele mobiliza a cidade em torno de uma renovação na igreja local. Dentro deste grupo surgem os reformistas radicais,que não concordavam com alguns pontos que a reforma ainda não tinha modificado, principalmente a prática do batismo infantil. Este grupo – denominado de Irmãos Suíços – começa a se batizar de novo como adultos, dando origem ao movimento anabatista.

Batismo de George Blaurock. O primeiro rebatismo anabatista em 1525.

3 - MENONITAS
A fé anabatista não foi aceita, pois era vista como radical por católicos e protestantes. Com isto os Irmãos Suíços saem de Zurique e se espalham pela Europa. A mensagem anabatista chega na Holanda, na pequena cidade de Witmarsun. Ali um sacerdote católico chamado Menno Simons estava em crise de fé, quando conhece o movimento dos anabatistas.

Em 1536, passando por uma experiência de renovação de sua fé, Menno dedica-se a cuidar de comunidades de anabatistas, estudando a Bíblia com eles. Em meio a perseguições, aqueles que formavam a comunidade liderada por Menno Simons passam a ser conhecidos como menonitas. Seguem fielmente a Bíblia, e defendem uma visão pacifista, na qual não se envolvem em guerras e perseguições a outros grupos.


Gravura de Menno Simons


4 - OS MENONITAS PELA EUROPA
Os menonitas eram perseguidos por sua fé, tanto por católicos, como por protestantes. À medida que as perseguições aumentam, os menonitas sondam novas regiões nas quais pudessem se estabelecer. Procuram terras em que tivessem autonomia civil, isenção do serviço militar e na qual pudessem criar e administrar as suas próprias escolas e comunidades. Isto fez com que os menonitas fossem para a região do Delta do Rio Vístula, atualmente na Polônia.

Nesta região os menonitas permanecem por aproximadamente 200 anos.

Migrações dos Menonitas na Europa

Em 1763 a czarina russa Catarina, a Grande, convida camponeses alemães para povoar regiões do Império Russo. Com isto, muitos menonitas se deslocam àquela região, criando colônias em território russo. As primeiras colônias são fundadas em 1789, sendo chamadas de Chortitza e Molotschna, em território que hoje é a Ucrânia.

QUEM ERA DIRK WILLEMS?

Em 1569, as autoridades católicas ordenaram a captura de Dirk Willems, um irmão anabatista que seguia o Senhor fielmente. Ele atravessou um rio congelado para tentar escapar.

No entanto, quando seu perseguidor tentou atravessá-lo, a camada de gelo quebrou e ele caiu nas águas geladas. Dirk Willems voltou e o resgatou de uma morte certa. O perseguidor, profundamente comovido pela demonstração de amor, quis deixá-lo em liberdade. Mas, o oficial que estava do outro lado do rio, ordenou-lhe que o capturasse.

Após várias semanas, chegou o dia da execução do irmão Dirk Willems determinada pela Igreja Católica. Um forte vento soprava sobre a planície desde o oriente. Ele foi amarrado a uma estaca para ser queimado vivo. Entretanto, o vento impedia que as chamas atingissem os membros superiores do seu corpo, e seu sofrimento tornou-se terrível visto que apenas suas pernas estavam sendo queimadas. As pessoas do povoado mais próximo escutaram-no exclamar mais de 70 vezes: “Ó meu Senhor, meu Deus!”

Finalmente, o juiz disse ao carrasco: “Execute o homem com uma morte rápida”. Dirk Willems suportou fielmente esse último sofrimento de sua vida e, certamente, recebeu a coroa da glória eterna.


5 - OS MENONITAS NA RÚSSIA
Na Rússia os menonitas fundaram muitas colônias, e prosperavam bastante. No meio da comunidade menonita surge um movimento de renovação espiritual, influenciado pelo pietismo, e que dá origem ao grupo conhecido como os Irmãos Menonitas. Este grupo dava valor a uma vida piedosa, com ênfase no estudo bíblico e na oração.

Embora os menonitas prosperassem, a vida na Rússia se torna difícil, por conta das diversas guerras nas quais o país se envolveu. A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) amplia as tensões sociais no povo russo, e a Revolução Russa, comunista, torna a situação dos menonitas insustentável. Perseguições, mortes, expropriações acontecem. Com isto muitos menonitas decidem sair da Rússia, buscando asilo na Alemanha, Canadá, Paraguai e no Brasil.

O Portão Vermelho, símbolo da saída dos menonitas da Rússia.


6 - OS MENONITAS NO BRASIL
Em 1930 aproximadamente 1.250 menonitas chegam ao Brasil, como refugiados. Eles são instalados no Vale do Rio Kraul, em Santa Catarina. Com muito trabalho os menonitas conseguem progredir na região, mas a vida lá era muito difícil, por isto alguns menonitas migram para Bagé, no Rio Grande do Sul, e para Curitiba.

Em 1931 um grupo de menonitas chega a Curitiba, se instalando nos bairros do Boqueirão e Xaxim. Aqui compram uma fazenda, que é loteada e dividida entre as quase 40 famílias, que começam a desenvolver um núcleo leiteiro na região.

Em 1936 é fundada a escola que dará origem ao Colégio Erasto Gaertner. Em 1946, com um grande esforço da comunidade, é erguida a Capela, estrutura histórica preservada como uma lembrança de todo o esforço, dedicação e fé desta comunidade.

Vista aérea da capela em 1966.

A comunidade Menonita de Curitiba

Em diversas regiões da cidade, a comunidade menonita mantém instituições de grande importância, que ajudam e transformam vidas: 

  • AMAS - Associação Menonita de Assistência Social:  instituição filantrópica que atende mais de 1.300 crianças de Curitiba e cidades vizinhas - Lapa, Porto Amazonas, Palmeira, Imbituva, Teixeira Soares e Rebouças - em nove centros de educação infantil e um centro de apoio aos pequenos agricultores, com alimentação, educação, lazer e formação cristã.  Também presta apoio sociofamiliar e socioeducativo para promover o bem estar social e espiritual nas comunidades carentes;
  • Lar Betesda: clínica de repouso, de apoio e de recuperação de idosos, fundada em 1979;
  • Chácara Bethel e Esporte Clube Olímpico: espaços para a prática do esporte e lazer;
  • Faculdade Fidelis: surgiu da parceria entre os mantenedores do antigo Instituto e Seminário Bíblico Irmãos Menonitas (ISBIM), diversas denominações evangélicas - COBIM (Irmãos Menonitas), AIMB e AEM (Menonitas) e CIELB (Evangélica Livre) - e a Fundação Educacional Menonita, para o credenciamento do curso de Bacharel em Teologia pelo MEC. Atualmente oferece o curso de Bacharel em Teologia e a Licenciatura de Pedagogia, ambos credenciados pelo MEC e pós-graduações: Psicopedagogia Institucional e Cuidado Espiritual; Conciliação e Cuidado Espiritual; e Capelania.