Enem: O passaporte para ingressar na faculdade

Restam poucos meses para a conclusão do ensino médio e o jovem estudante está ansioso para dar o pontapé inicial à nova fase de sua vida, a tão sonhada graduação. Mas antes de conquistar uma vaga na faculdade é preciso comprometimento e muita disciplina para se preparar para uma etapa importantíssima, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Dependendo da nota alcançada no exame, o estudante pode garantir uma vaga nas milhares de instituições públicas e privadas de ensino superior do País, que aderiram ao programa federal.

Criado em 1998, o Enem surgiu para verificar a qualidade geral do ensino médio e com o passar dos tempos se tornou um passaporte para o ensino superior.​ O exame ocupa lugar de destaque na agenda educacional brasileira. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC), desde a primeira edição, realizada em 1998, até a última, em 2014, o crescimento no número de inscritos ultrapassa 4000%. Em 1998, foram quase 158 mil inscritos. Em 2014, o número ultrapassou os 8,7 milhões.

Nem todos sabem, mas vários são os motivos para tanta relevância do Enem. A nota obtida no exame pode ser utilizada de diversas maneiras: para o Programa Universidade para Todos (Prouni) e Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para o acesso direto à universidade – sem a necessidade de fazer a prova de vestibular –, ou para complementar a pontuação do vestibular, para a solicitação do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e para o Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec).

Por meio do Prouni, o estudante pode ganhar bolsas de estudo, parciais e integrais, em faculdades privadas. O processo é gratuito e basta o candidato utilizar sua nota do Enem para saber se será contemplado com bolsa de 50% ou 100%. O estudante que quer brigar pela vaga precisa ter feito o exame no ano anterior e ter obtido pelo menos 450 pontos nas provas objetivas e nota maior do que zero na redação. Quanto maior a nota, maiores as chances de se conseguir uma bolsa do Prouni. As inscrições para o programa acontecem duas vezes por ano, no primeiro e segundo semestre, e podem ser feitas no site prouniremanescentes.mec.gov.br. O Prouni prioriza estudantes com renda familiar mensal bruta de até três salários mínimos.

Já o Sistema de Seleção Unificada, criado em 2009 com intuito de democratizar as oportunidades de concorrência às vagas federais de ensino superior, oferece vagas exclusivas para universidades públicas e não há limites de renda para participar. Diferentemente do Prouni, o Sisu não exige nota mínima nas provas do Enem. Basta ter realizado o exame no ano anterior e não ter zerado na redação. As inscrições para o sistema de seleção também não são cobradas e acontecem no primeiro e segundo semestre do ano. Podem ser feitas no site sisu.mec.gov.br.

Caso o estudante não opte pelo Prouni ou Sisu, é possível usar a​nota do Enem para ingressar imediatamente em instituições privadas de todo o Brasil. Normalmente, se consegue uma vaga tendo feito o exame a partir de 2010 – período em que o formato do Enem foi modificado. No entanto, é importante se atentar às regras, que variam entre as universidades. Algumas exigem notas mínimas nas questões objetivas e redação, outras basta não ter zerado em nenhuma das provas.

Uma outra forma para ingressar no ensino superior com a nota do Enem, é utilizá-la como complemento à pontuação do vestibular. Algumas un​iversidades públicas aceitam essa alternativa, mas também é importante o estudante se informar com instituição que deseja ingressar para entender o processo seletivo.

Outra possibilidade é solicitar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). É obrigatório, desde 2011, ter feito o Enem para firmar contratos pelo Fies e não há restrições relativas à média do candidato obtida no exame. O estudante pode ter mais informações sobre o financiamento no site fiesselecao.mec.gov.br. Além disso, o Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica também é uma oportunidade para quem deseja fazer cursos técnicos oferecidos em instituições públicas e privadas.​

Intercâmbio estudantil

A importância do Enem não se encerra com o ingresso no bacharelado. O exame é etapa obrigatória para os universitários que desejam fazer graduação e pós-graduação no exterior por meio do programa federal Ciências sem Fronteiras. Além do domínio de língua estrangeira, os candidatos são avaliados no processo seletivo de acordo com o desempenho acadêmico. Os estudantes que obtiveram nota superior a 600 pontos no Enem têm preferência ao intercâmbio. No site do programa (cienciasemfronteiras.gov.br) os interessados podem conferir os países que têm recebido estudantes brasileiros e os cursos ofertados. A Universidade de Coimbra, em Portugal, também passou a aceitar as notas do Enem – obtidas entre 2011 e 2013 – em seu processo seletivo. A nota do exame dispensa os candidatos das provas oficiais portuguesas.

Certificação do ensino médio

Pessoas maiores de 18 anos, que não concluíram o ensino médio, podem conseguir a certificação por meio do Enem. Para a emissão do diploma, a pontuação mínima é de 450 pontos em cada uma das áreas do conhecimento e 500 pontos na redação. Para entender melhor como funciona o processo de certificação, acesse portal.inep.gov.br/web/enem/certificacao.

Um dos destaques deste ano foi o Colégio Erasto Gaertner, localizado na região sul da capital paranaense – que abrange os bairros Alto Boqueirão, Boqueirão, Hauer e Xaxim – que conquistou pelo quinto ano consecutivo a média mais alta no Enem entre as escolas da região. Atualmente é a instituição que mais aprova alunos no vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Quer dicas sobre como fazer a redação perfeita no ENEM?

Baixe nosso e-book totalmente gratuito e descubra de forma rápida e fácil como você pode tirar nota 1000 na redação no ENEM!!