Mudanças no ensino médio? O que os pais precisam saber sobre a reforma educacional


Provavelmente, você deve estar acompanhando as últimas notícias e discussões a respeito do que seria a nova Reforma Educacional.

Desde a última quinta-feira, 22, muitas discussões e debates vem ocorrendo a respeito desse novo modelo que pode ser adotado para conduzir o ensino médio no Brasil.

As opiniões se divergem em vários sentidos e, por esse motivo, resolvemos esclarecer algumas das principais dúvidas dos pais, deixando um pouco de lado as questões políticas, e focando naquilo que realmente é importante para nós, a educação do seu filho.

Quer saber o que mudaria no ensino médio, caso a nova reforma seja aprovada no Congresso? Acompanhe esse artigo!  

O que é a nova reforma do ensino médio

O medida provisória (MP), que prevê a reformulação do ensino médio no Brasil, é um projeto para dar mais flexibilidade ao aluno, no intuito de tornar essa fase mais atrativa e assim, diminuir os altos índices de desistência.

Atualmente, segundo uma pesquisa realizada pela UNICEF, o país registra cerca de 1,7 milhão de adolescentes entre 15 e 17 anos fora da escola, que seria a faixa etária onde eles deveriam estar cursando o ensino médio.

O que mudará na ambiente escolar do seu filho

Caso a nova reforma seja de fato implementada, o currículo do ensino médio será definido pela Base Nacional Comum Curricular, o que dá a opção para as escolas oferecerem aos seus alunos algumas possibilidades de áreas ou matérias nas quais eles desejam se aprofundar.

Um exemplo prático de como funcionam os chamados itinerários formativos, é quando um aluno almeja ser um engenheiro, por exemplo, e o seu maior interesse no ensino médio é estudar matemática, ele poderia optar por isso.

O mesmo exemplo cabe para um aluno que sonha em cursar medicina, ainda no ensino médio ele poderá optar em empregar mais tempo na área de ciências humanas e dessa forma, além de estudar algo que realmente seja de seu interesse, ele já sai do ensino médio melhor preparado para prestar o vestibular.

Ao todo, são cinco itinerários formativos: ciências humanas, ciências da natureza, linguagens, matemática e formação técnica e profissional. No entanto, mesmo com a medida provisória, cabe somente a instituição de ensino, seja ela estadual ou da rede privada, dar aos alunos a possibilidade de escolher sua área de concentração incorporando em seu currículo os cinco itinerários formativos.

Porque o Ensino Médio deverá ser em tempo integral

Outra grande mudança prevista para a reformulação, é a implementação de escolas de tempo integral durante o ensino médio com o objetivo de tornar esse período ainda mais flexível.

Caso aprovado, a grade escolar aumentaria de 800 horas anuais para 1.400 horas, onde parte da grade seria a mesma para todos os alunos e em seguida, o estudante poderia optar por um itinerário formativo que fosse de seu interesse.

Estudos comprovam que a carga expandida pode melhorar o desempenho dos alunos, e diversos Estados já seguem o modelo de tempo integral. Em Pernambuco, por exemplo, metade da rede estadual já atua em tempo integral e o Estado foi um dos dois únicos a bater a meta do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) no ano de 2015.

O que acontecerá com Artes, filosofia, sociologia e educação física

Diferente de alguns discursos disseminados nos últimos dias, as matérias citadas acima não sairão de toda a grade escolar do seu filho.

Atualmente, o ensino de artes e educação física é obrigatório para todas as etapas da educação básica, a nova Medida Provisória sugere que essas duas matérias sejam obrigatórias apenas no ensino infantil e fundamental, isentando assim, o ensino médio.

Entretanto, caso o aluno escolha empregar mais tempo em um itinerário formativo que se aplique o estudo de alguma dessas matérias, elas poderão ser incluídas perfeitamente. A mesma situação é válida para sociologia e filosofia que até então eram matérias obrigatórias para o ensino médio.

O texto da medida provisória é bastante claro com relação às disciplinas de português e matemática, onde é possível ver a seguinte afirmação: "o ensino de língua portuguesa e matemática será obrigatório nos três anos do ensino médio".

O que mudará no Vestibular

O processo de vestibular também irá passar por mudanças. Isso porque, atualmente, as universidades possuem total autonomia para definir quais conteúdos irão exigir durante as provas para selecionar os novos calouros.

Como a reformulação, as universidades só poderão cobrar o que for determinado pela Base Nacional comum Curricular.
Com essa medida, o processo seletivo deverá considerar exclusivamente as competências e habilidades definidas pela Base, das quais os alunos tiveram acesso e puderam se aprofundar durante o ensino médio.

Quando essas mudanças devem ocorrer

Não se preocupe, caso a nova reforma do ensino médio seja aprovada pelo Congresso Nacional, a previsão é que, somente as turmas que ingressarem em 2018 estariam dentro da nova proposta educacional.

E você, o que acha da reforma educacional e todas essas mudanças? Ainda tem alguma dúvida de como isso poderá afetar o futuro escolar do seu filho? Compartilhe conosco, será um prazer ajudar! ;)